POR QUE INVESTIR EM IMÓVEIS?

Pagamento à vista, consórcios e leilões são a melhor forma de começar a obter lucros com os imóveis

Você deve conhecer pelo menos uma pessoa muito rica que possua vários imóveis. Historicamente, possuir ativos no mercado imobiliário é uma das melhores formas de garantir que o dinheiro renda em médio e longo prazo, e tem se tornado o sonho de investimento de todo brasileiro.

O aumento da população aliado ao crescimento das áreas urbanas fez com que o investimento em imóveis se tornasse cada vez mais disputado e, consequentemente, mais complicado. Esse tipo de investimento tem sido usado como estratégia para driblar períodos de inflação e crise econômica, exatamente o que está acontecendo nos últimos anos no Brasil.  

A dica dos especialistas para quem tem dinheiro parado é fazer um investimento. Com a baixa dos preços devido ao desinteresse durante a crise e a liberação das contas inativas do FGTS, investir em imóveis voltou a ser uma aposta lucrativa.

Esse tipo de investimento está imune a quebras de bancos e a congelamentos decretados pelo governo, possui um bom potencial de valorização devido ao déficit populacional, é protegido dos valores da inflação oficial e pode garantir uma renda fixa mensal. Se você já for um investidor, é possível, ainda, diversificar com os imóveis.

Você pode lucrar de duas formas: aluguel ou valorização imobiliária. No primeiro, é possível contar com os serviços de uma administradora para resolver a parte burocrática, mediante um custo razoavelmente alto, ou ficar responsável pelo inquilino, submetendo-se a tarefas como negociação do contrato, cobranças e eventuais reparos. Já a segunda forma exige um bom conhecimento do mercado para identificar a hora certa de vender o imóvel, o que ainda não está acontecendo.

COMO FAZER O INVESTIMENTO

Você pode comprar terrenos, residências, estabelecimentos comerciais, casas de veraneio, flats ou cotas de fundos imobiliários. Há muitas formas de fazer esse investimento, e você precisa analisar os riscos e o retorno de cada uma delas antes de decidir ser o dono de um imóvel:

À VISTA

O pagamento à vista é a forma mais indicada de adquirir um bem de alto valor. Com o dinheiro em mãos, você pode negociar descontos e não fica sujeito aos juros. No entanto, dependendo do custo do imóvel, é preciso avaliar se a transação realmente trará um retorno no período de tempo que você espera.

LEILÃO

Nos leilões de imóveis, você consegue obter imóveis com custo até 40% menor em relação ao mercado. Apesar dessa atrativa vantagem, comprar imóveis em leilões exige uma certa experiência e paciência, principalmente no caso dos leilões online. Além disso, após fechar o negócio, você provavelmente vai demorar para conseguir as chaves, já que proprietários inadimplentes, imóveis ocupados e burocracia cível ou trabalhista precisam ser solucionadas. Em alguns casos, ainda, o leilão de imóveis corre o risco de ser anulado.

CONSÓRCIO

Se você não tiver pressa de comprar o imóvel para investimento, o consórcio é um bom negócio, pois não há juros. No consórcio, você paga uma quantia fixa e participa de leilões e sorteios todos os meses, que reduzem o tempo de espera caso você seja contemplado. Se você não der sorte, terá que aguardar o prazo máximo de duração dos grupos.

FINANCIAMENTO

Realizar o financiamento de um imóvel pode ser uma ótima forma de obter a casa própria, mas, para investimento, talvez não seja a melhor opção. Como as prestações são altas, o tempo de pagamento é longo e a taxa de juros crescente, se o imóvel ficar muito tempo desabitado ou se não estiver em um bom momento para a venda imediata, você arcará sozinho com a dívida.

 

Carolina Alexandra Ramos Riffel
Meu nome é Carolina Riffel, atualmente redatora e link builder da agência SEO Marketing.

Estudante de jornalismo na Universidade Anhembi Morumbi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *