Por que a confiança será tão importante em 2016? - Negócios e Carreiras
Home > Comunicação > Por que a confiança será tão importante em 2016?

Por que a confiança será tão importante em 2016?

Está doendo no bolso. Em 2015, tudo ficou mais caro. Você percebeu, o consumidor também. Com isso, a inflação no ano passado fechou em acima da meta, em 10,67%, atingindo a maior alta dos últimos 13 anos.

Não vou aqui me alongar no tema que já é conhecido e explanado pela grande imprensa, mas, no começo do ano, acredito ser sempre bom pensarmos no que esperar para ele. Nesse cenário, de incerteza, afirmo: o consumidor esperar poder confiar.

E não é no governo

A confiança do consumidor no governo está abalado. Segundo o estudo Edelman Trust Barometer de 2015, o governo, globalmente, é a instituição menos confiável. O resultado se repete pelo quarto ano consecutivo, abaixo de 50%: EUA (41%), no Reino Unido (43%),  no Japão (40%) e no Brasil (37%).

Segundo o Índice de Confiança do Consumidor, da FGV, recuou 2,0% em dezembro, se comparado à novembro do mesmo ano. Este é o pior cenário desde 2005, de acordo com o estudo.

E você, empreendedor, o que deve fazer?

Em um cenário de instabilidade, tudo o que o consumidor quer é poder confiar em alguém. É poder contar com os produtos que ele apostou ao longo dos anos de bonança. E isso ele só faz com quem ele se relaciona.

  • É poder CONFIAR que, quando ele estiver no supermercado, fazendo comparativos (porque todo mundo anda fazendo), o produto que ele apostou sempre conseguiu boas negociações para manter-se dentro da sua cesta de compra.
  • É ver TRANSPARÊNCIA no discurso daquela marca no seu discurso e entrega de produto.
  • É se RELACIONAR: para criar vínculo e fidelização o consumidor espera mais investimento na relação, ou ele vai apostar em preço somente. DIALOGUE.
  • E OUÇA: Fique atento aos pontos de relacionamento com seus públicos, eles trarão ideias e também pontos de atenção (e isso não é ruim).
  • Ganha-ganha: não estamos em tempo de QUERER mais do que o outro. Tenha metas, mas considere o cenário instável (para você e seu consumidor)
  • PROPORCIONE experiências genuínas ao consumidor .

Lembro-me, em uma ocasião da minha carreira, de vivenciar o fechamento de uma unidade fabril no interior de São Paulo. A preocupação nesse cenário é grande, afinal, o impacto na cidade é grande, são centenar de empregos em jogo. Tudo foi pensado com muito cuidado, não só do ponto de vista de negócio, mas humano também. A preocupação com a realocação do maior número de funcionários possível, a capacitação daqueles que não poderiam seguir na empresa. Tudo isso gera muita confiança, mesmo num cenário assim.

No dia do fechamento, com a imprensa na porta da unidade, não houve uma declaração negativa por parte dos colaboradores, mesmo os que foram desligados da Companhia. Todos relataram um cenário positivo, de relacionamento com a empresa e de zelo entre as partes. Isso se construiu ao longo de anos, não foi no momento mais difícil. Na dificuldade, os laços se intensificaram, mostraram para que veio.

Sem dúvida, 2016 será difícil. Mas é na dificuldade que mora o aprendizado. Acredite no seu negócio, nas suas decisões, seja transparente, comunique-se e descubra o melhor caminho para ver flores no seu jardim mesmo em períodos de crise.

Transforme a instabilidade e o medo em coragem, criatividade, sabedoria e liberdade. Esteja preparado para o ano em que a aposta está no relacionamento.

Já falou com seu cliente hoje?

Eduardo Alves
Eduardo Alves é bacharel em Comunicação Social, com habilitação em Relações Públicas em UMESP – Universidade Metodista de São Paulo, possui especialização em Mídia Sociais pela ESPM - Escola São Paulo de Publicidade e Marketing, além de cursos de extensão em Liderança e Marketing.

Atualmente é Supervisor de Contas de Consumo na maior agência de relações públicas do mundo, a Edelman.

O profissional acumula 13 anos de experiência na gestão de marcas e comunicação de grandes empresas nacionais e multinacionais de mercados diversos: consumo, B2B e Terceiro Setor. A partir dessa vivência, adquiriu sólido conhecimento teórico e prático sobre marcas, relações públicas, organização de eventos, branding, planejamento, assessoria de imprensa, produção de conteúdo, estratégias digitais, gestão de crise, relacionamento com investidores, comunicação interna, gestão de projetos, mapeamento e relacionamento com stakeholders, parcerias, estudos de mercado, consultoria na construção de marcas, patrocínios, endomarketing, marketing digital e responsabilidade socioambiental.

Dentre as marcas que já prestou serviços, destacam-se: Giraffas, Kimberly-Clark Brasil; PepsiCo; Wines of Argentina; Wonderful Pistachios; Bain & Company; Herbalife; Playcenter; Playland; PBF – Pink and Blue Freedom; Incentive House; Marcondes & Consultores Associados; Grupo Plus Advance Marketing Integrado; Sika Brasil; Sincomavi – Sind. do Comércio Varejista de Materiais de Construção; Sol Pleno; Playcorp; Dr. Maurício Hirata; SEBRAE – Projeto Showroom Arte que Vale; Reveillon Embratel na Paulista; Aniversário de São Paulo; Fórum Internacional ABA Branding; Eyedea – Projeto de Acessibilidade digital para a Tetra Pak; VASP – Viação Aérea São Paulo – Proposta de Reestruturação Financeira no âmbito do Processo de Recuperação Judicial da Companhia; Estação Loucos pelo Brasil Coca-Cola.

O que você achou do artigo? Comente!

Seu e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios está marcados *

*

Scroll To Top