Home > Coaching > Longevidade: Como viver mais…e melhor?

Longevidade: Como viver mais…e melhor?

Um famoso proverbio chinês diz: “ O segredo da longevidade é comer a metade, andar o dobro e rir o triplo”. Será?

Segundo cientistas, médicos e pesquisadores da atualidade, longevidade é a longa duração de uma vida significativa e vigorosa.

Hoje, a perspectiva dos adultos de chegarem aos cem anos é a maior de toda a história. é importante salientar que estamos falando de pessoas ativas, que mantem a disposição e a fé na vida e são responsáveis, inclusive, pela realização de negócios.

E você está preparado para os seus próximos 50, 60 ou 70 anos?

Mais importante do que chegar lá, é como chegar lá. Certo?

Te interessaria saber como otimizar as suas chances de ter uma vida longa, prospera e saudável?

E é sobre isto que vamos falar, hoje.

Segundo a ciência, o envelhecimento não é um processo mutável, maleável e que pode ser desacelerado.

Além disto, intervenções em diversos níveis podem impactar tanto a longevidade quanto a saúde.

A constatação de que algumas pessoas mantem um bom funcionamento físico e mental por mais de um século sugere que os genes associados a prolongação de uma vida saudável já estão presentes no genoma humano.

Portanto, a longevidade não é mais uma utopia e a ciência, com base em inúmeros estudos, defende o que chamamos de pilares da longevidade.

Todos estes fatores estão ligados ao estilo de vida e é isso que você pode controlar.

1. Alimente-se bem

“Que seu remédio seja seu alimento, e que seu alimento seja seu remédio” – Hipócrates.

  • Após analisar povos que se destacam por sua longevidade e saúde, Jonny Bowden (psicólogo, PHD e Coach) concluiu que a dieta básica destes povos exclui o consumo de conservantes e produtos químicos, preservando a alimentação natural.
  • Segundo pesquisadores do Canadá e EUA, no estudo “O Efeito da Ingestão dos Alimentos”, comer menos, evitando os excessos, pode contribuir para aumentar a longevidade.
  • De acordo com a Terapia de Longevidade Cerebral do Dr. Khalsa, dietas com excesso de gordura aumentam a produção de radicais livres, que provocam a morte de bilhões de neurônios. Ainda conforme esta terapia, ele adverte que dietas pobres em nutrientes aumentam a hipertensão arterial, o que prejudica as funções cognitivas.

Nesta terapia, a recomendação é de privilegiar vegetais, cereais integrais, frutas e peixes a quaisquer outros alimentos.

  • Na medida em que amadurecemos, tendemos a nos desidratar, o que nos faz, literalmente, “murchar”, aumentando as rugas e perdendo massa muscular. Aqui, vale destacar a importância de evitarmos o álcool, açúcar, cafeína, adoçantes artificiais e outros produtos químicos, além de uma ingestão adequada de água.

Neste momento, você deve estar se perguntado: Afinal, qual é a melhor alimentação para retardar ou minimizar os efeitos do envelhecimento?

Bradley Willcox, professor da Geriatria da Universidade do Havaí, defende que “as dietas mais saudáveis são firmemente calcadas em vegetais frescos, frutas e legumes – alimentos que possuem baixo teor calórico e são cheios de nutrientes. ”

Embora você já saiba, é sempre bom lembrar que esses alimentos são ricos em antioxidantes, que combatem os radicais livres – moléculas instáveis liberadas pelo metabolismo do corpo que prejudicam as funções celulares.

2. Mexa-se

Você deve escutar algumas vezes por dia, o quanto as atividades físicas são benéficas para a sua saúde, qualidade de vida e longevidade. Mas você sabe o porquê?

  • Quanto mais horas por dia uma pessoa permanece sentada, maiores são as chances de desenvolver doenças crônicas e este risco diminui se você se exercitar cinco horas por semana, pelo menos.
  • Segundo Mike Adams, editor do Natural News.com: “Na verdade, é justo dizer que o corpo humano foi desenhado para ser usado”.
  • A atividade física faz com que o sangue, o oxigênio e os nutrientes se movam no seu corpo, gerando mais disposição, vitalidade e saúde. Além disso, o suor é fundamental para a liberação de toxinas.
  • Não exagere na dose. De acordo com o Dr. Jonny Bowden “80% dos indivíduos que passam horas na academia estressam os músculos, ao invés de aumentar a longevidade.
  • Para evitar a liberação de radicais livres, é recomendável praticar exercícios entre 65% e 80% da sua frequência cardíaca máxima.
  • Nas pessoas que mantem a boa forma, a liberação de radicais livres, devido aos exercícios, é menor. Isso ocorre porque a atividade física regular também aumenta os níveis de enzimas que destroem os radicais livres.

Conclusão: exercitar-se, da forma correta, é fundamental e é importante consultar um especialista, para definir o tipo e intensidade das atividades mais adequadas a você.

3. Exercite o cérebro

Tão importante quanto exercitar o corpo é exercitar o cérebro.

Você sabia que o cérebro humano tem a capacidade de produzir neurônios ao longo da vida?

Para isto, é preciso saber como estimulá-lo. Mas como?

Um estudo publicado no New England Journal of Medicine, que acompanhou um grupo de idosos por mais de vinte anos, apontou que:

  • Nas pessoas que combinaram as atividades mentais (jogos, leitura, escrita) e as físicas (esportes, danças, trabalhos domésticos), com regularidade, a incidência de demência foi 63% menor do que nas demais.
  • Os princípios para a boa forma mental são a novidade, a variedade e o desafio constante. Portanto, escolha as atividades de sua preferência, mantendo o foco nestes três pontos.

4. Gerencie o stress

Ainda segundo Jonny Bowden, o controle do stress é fundamental para vivermos mais e melhor.

É comprovado que o stress aumenta o nosso nível de cortisol, o que prejudica o nosso funcionamento físico e mental. Atualmente, estudos demonstram que 60% das visitas médicas estão relacionadas a problemas ligados ao stress.

Entre outras coisas, o stress afeta o sono e as pesquisas dizem que quem dorme bem, vive mais. E você, como tem dormido?

No meu artigo “Você X Stress – Quem está no controle” (http://negociosecarreiras.com.br/voce-x-stress-quem-esta-no-controle/), eu detalho este ponto, tanto no tocante a conceituação quanto a melhor forma de gerenciar o stress. Neste momento, vale acessar o link e ler o texto completo.

5. Inteligência emocional

Os seus relacionamentos afetam profundamente a sua saúde e a sua qualidade e duração de vida. Disso, você já tinha ciência?

E é por isso que o Dr. Bowden, bem como outros estudiosos deste assunto, incluíram a inteligência emocional como um dos pilares da longevidade.

Veja o que outros estudos e estudiosos falam sobre os relacionamentos:

  • Cientistas da Brighan Young University incluíram os relacionamentos sociais como um dos fatores para predizer a expectativa de vida de uma pessoa.
  • Os professores Julianne Holt-Lunstad e Timothy Smith, afirmam que as conexões sociais aumentam a nossa taxa de sobrevivência em 50%.
  • No tocante a qualidade de vida, por exemplo, a pouca interação social é mais prejudicial do que a falta de pratica de exercícios e é duas vezes mais danosa do que a obesidade.
  • A professora Julianne Holt-Lunstad afirma que “Quando alguém está conectado a um grupo ou se sente responsável por pessoas, esse senso de propósito e de significado se traduz em tomarmos mais cuidado consigo mesmo e correr menos riscos. ”

A inteligência emocional refere-se à capacidade de entender e de saber lidar com os próprios sentimentos e com os dos outros e esta é uma capacidade básica para gerar bons relacionamentos e é daí que provem a relevância deste aspecto para a melhor qualidade e maior expectativa de vida.

Ao falarmos sobre longevidade, a alimentação, os exercícios físicos e mentais, o gerenciamento do stress e a inteligência social estão inseridos em um contexto mais amplo – o estilo de vida!

Em resumo, suas escolhas, hábitos e comportamentos determinam tanto a sua vida atual quanto o seu futuro!

Mais uma vez, a excelente notícia é que 100% do que os estudos revelam sobre qualidade de vida e longevidade podem e devem ser gerenciados por você.

É possível constatar que somos os protagonistas das nossas vidas e, como tais, únicos responsáveis pela forma como vivemos e nos relacionamos com o mundo e com as pessoas.

E você? O que está fazendo, hoje, para ter o futuro que sempre sonhou?

O que está fazendo para ter a velhice dos seus sonhos e manter a mente e o corpo sãos, ao longo dos anos?

Peço para que você dedique alguns minutos do seu dia à reflexão destes pontos e que, a partir deles, defina o seu novo estilo de vida.

Com base em tudo o que você quer ser, ter e fazer, aos cem anos, o que você deve:

  • Iniciar, imediatamente?
  • Continuar fazendo?
  • Parar, agora mesmo?

Espero ter atingido o meu objetivo, compartilhando tudo o que há de mais recente na Psicologia Positiva e no Coaching, para que você se torne a sua melhor versão…por ainda mais tempo!

“Se você não tiver seu próprio plano de vida, é provável que caia no plano de alguma outra pessoa. E adivinha o que eles planejaram para você? Não muito. ” – Jim Rohn

Nathali Teixeira Lopes Kafski on sabemailNathali Teixeira Lopes Kafski on sabfacebookNathali Teixeira Lopes Kafski on sablinkedin
Nathali Teixeira Lopes Kafski
em
- Positive, Pessoal and Professional Coach, na empresa Up2you Coaching e Desenvolvimento Humano.
- Membro da Sociedade Brasileira de Coaching.
- Quinze anos de sólida experiência em gestão e desenvolvimento de equipes de alta performance, em empresas multinacionais de grande porte.
- Alto potencial de trabalho em coordenação e execução de projetos.
- Hábil em contratar, desenvolver e motivar equipes vencedoras.
- Êxito em criação, implementação e acompanhamento de planejamento estratégico.
- Facilidade de adaptação aos diferentes cenários, perfis de equipes e ramos de atuação.
- Espírito de equipe, dinamismo e excelente relacionamento interpessoal complementam o perfil.

Certificações:
- Wellness and Positive Coaching® (SBC) - 2015
- Personal and Professional Coaching® (SBC) - 2015
- Leader as a Coach (Association For Coaching) - 2015

O que você achou do artigo? Comente!

Seu e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios está marcados *

*

Scroll To Top