Home > Carreiras > As Cinco Maneiras de Compreender o que Diz o Palestrante Motivacional

As Cinco Maneiras de Compreender o que Diz o Palestrante Motivacional

O palestrante motivacional diz uma coisa, mas será que todos entendem da mesma forma? Quais as maneiras de interpretar o que o palestrante motivacional está dizendo?

Não se acanhe. Você não é obrigado a corresponder e compreender tudo o que ouve e vê nos encontros que sua empresa promove a fim de o motivar à produção ou naqueles para os quais é convidado por amigos. Não é obrigado também a entender e aceitar tudo o que lê nos livros de autoajuda. Tanto em uma como em outra situação, a experiência é completamente pessoal por parte do palestrante ou do autor.

Então, não se sinta excluído do pódio. A Publicidade e o Marketing, em si, parecem passar impressão de que são conceitos recentes. Contudo, Pompeia, já na Antiguidade, e os próprios gregos e egípcios antigos, lançavam mão dessa estratégia.

Faziam propaganda sem noção específica, claro, usando pregadores ou pregoeiros que anunciavam de tudo, de um evento qualquer a uma nova regra faraônica.

Os egípcios eram mais contundentes. Rascunhavam em muros informações sobre comerciantes novos ou novos produtos que chegavam nas caravanas.

Os primeiros objetos que se podiam chamar de peças publicitárias vieram somente nos séculos XV e XVI. Instituição eclesiástica divulgou informações sobre ato religioso em Paris, França, antes ainda dos anos 1500.

Depois disso, muita coisa mudou em termos de estratégias e técnicas. Desde a prensa do alemão Johannes Gutenberg – que era ourives e não marqueteiro – deu nova ênfase à publicidade. Novas máquinas, novos jeitos. Telefone. Rádio. Televisão. Computador.

Estratégias inalteradas…

O que não mudou (veja em nosso texto anterior) foi o objetivo claro de enaltecer um produto, uma atividade, uma pessoa.

Seja lá qual for o objetivo do encontro, haverá sempre necessidade intrínseca de se enaltecer o melhor lado de um produto, de um conceito, de uma atividade. Ou de uma pessoa, no caso, o palestrante.

E é com base nessa ideia que ouvintes e participantes de palestras motivacionais deveriam prestigiar esses eventos: cientes de que o que veem e ouvem faz parte de um processo publicitário.

Contudo, o que existem são maneiras, jeitos, caminhos para se expor uma ideia.

…e nova visão sobre o público

Desde Gutenberg, a inteligência humana teve tempo suficiente para aumentar a compreensão sobre como uma pessoa assimila uma ideia ou um conceito. Adolf Hitler e Benito Mussolini foram especialistas no assunto.

Pessoas acatam menos o que ouvem se o orador for detentor de poucos títulos, sejam quais títulos forem. Por isso todo anúncio apresenta mais títulos do palestrante do que assuntos que vai discutir.

Pessoas rejeitam menos um conceito quando o grupo de ouvintes for maior. Por isso, imagens de palestras motivacionais passadas têm sempre um público enorme, de forma que se consiga número maior para as seguintes.

Pessoas têm maior receio de mostrar dúvida quando diante de estranhos. Num tempo em que solidão (mesmo em meio à multidão) é fenômeno psicológico que aumenta a cada dia, sentir-se agrupado e aceito num contexto é a maneira como o cérebro humano se defende. Por isso, os motivacionistas escolhem a dedo a quem dar o direito de fazer pergunta durante o evento.

Desta forma, durante a próxima palestra motivacional da qual participar ou leitura do próximo livro de autoajuda que tiver à mão, observe que…

Transferência de Poder

é comum e muitas vezes necessário. O palestrante aponta alguns presentes durante sua dissertação para associá-los ao que está fazendo. Isso facilita a aceitação do argumento por parte de todos. Na verdade, está deixando claro que “se eu posso, você também consegue”. Compreenda que isso nem sempre é real. Iniciativas e atos que o palestrante detém podem não ser compatíveis com seu jeito de ser ou de pensar.

Cumplicidade

é sempre uma das melhores maneiras de mostrar assertividade e fundamentar conceitos. Pedir opinião de pessoas que, durante a palestra motivacional, se mostraram mais simpáticas (sorrisos, gestos, atenção etc.) ao que ouvem é forma de fortalecer o que se fala.

Gestos e Trejeitos

são inerentes a toda palestra motivacional. Ou então não será motivacional e, sim, conferencial. Captar atenção e aceitação a partir de teatralização é noção antiga. O cérebro humano se associa muito mais facilmente a palavras acompanhadas de imagens e cenas. Por isso o teatro é milenar e o cinema (incluem-se vídeos de internet) faz tanto sucesso.

o Impossível e o Imaginário

são perfeitamente cabíveis nos sonhos das pessoas. Por isso, o motivacionista apela para frases do tipo “não desista nunca”, “não se esqueça de que o universo conspira a seu favor quando você sonha”, “nunca dê ouvidos a quem impede que você siga em frente”. Num de nossos próximos textos, vamos abordar a história de dois irmãos de Governador Valadares, MG, e sua aventura para realizarem o sonho de chegar aos Estados Unidos. Vai ser interessante!

Imagens Portentosas

fazem parte do enredo motivacional, de forma a sustentar a qualidade dos sonhos de quem ouve. É sempre emocionante e onírica a imagem de Nicholas James Vujicic que, nascido sem braços e sem pernas, viaja o mundo falando sobre suas aventuras para se manter vivo. Mas não se surpreenda com ela porque foi impulsionado por dois fatores indiscutíveis: o dó de que todos são tomados ao vê-lo – e o ajudam em tudo – e falta de opção na vida – ele não tinha o que fazer, afinal, além de sobreviver.

Vamos falar sobre isso? Acompanhe as publicações de Negócios e Carreiras para ler nosso texto futuro chamado “Como Alimentar a Carreira com o que se Passa a Sua Volta”, publicada brevemente.

Serg Smigg
Ex-professor de Língua Portuguesa na Rede Estadual de Ensino (SP), jornalista e filósofo, o autor nasceu em S. Paulo em 1958. Escreveu "As Últimas Ovelhas" (1998, ed. Papel&Virtual), "Tempestades de Palavras" (2013, ed. Amazon), além contos e crônicas corporativos diversos em sites e jornais regionais. Atualmente, é redator e revisor/formatador de textos em geral em revistas e jornais e palestrante organizacional.

O que você achou do artigo? Comente!

Seu e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios está marcados *

*

Scroll To Top